Limpeza da caixa d'água deve ser regular para preservar a saúde dos moradores

Serviço feito periodicamente ajuda a evitar acúmulo de sujeira e presença de micro-organismos

INFORMAÇÕES PESSOAIS:

RECOMENDAR PARA:

- AMIGO + AMIGOS
Preencha todos os campos.
postado em 17/01/2014 15:52 / atualizado em 17/01/2014 15:58 Celina Aquino /Estado de Minas
Reprodução/Internet/santecresiduos.com.br
Poucos se lembram da existência da caixa d’água, ainda mais de mantê-la limpa. Pois saiba que a recomendação é higienizar o reservatório doméstico a cada seis meses. O serviço é indicado para analisar se existe algum vazamento e preservar a saúde dos moradores da residência, já que o acúmulo de sujeira e micro-organismos pode contaminar a água.

A caixa d’água serve como reserva em caso de haver problema no abastecimento da Companhia de Saneamento de Minas Gerais (Copasa). “A empresa garante a qualidade da água até o hidrômetro. A partir daí, a responsabilidade é do cliente”, esclarece o agente de saneamento Givanildo Cruz. Com o passar do tempo, micro-organismos criados pela própria água e levados até o reservatório pela canalização da rede hidráulica podem comprometer a qualidade do líquido. Nos casos em que a caixa d’água é pequena, o morador pode se responsabilizar pela limpeza periódica com água sanitária, que tem a mesma ação do cloro, substância usada para manter a água limpa.

O coordenador da assistência técnica da Tigre, Toshio Kiwara Junior, observa que muitas famílias esperam o período de férias para voltar a atenção para a caixa d’água, o que não é recomendado. “É um erro limpar o reservatório só quando a água está barrenta. Aí já chegou em uma situação limítrofe. Não é pelo fato de não ver sujeira que ela não está lá. Por mais que a caixa esteja totalmente vedada, ela vem pela água, e não pelo ar”, alerta. O intervalo da limpeza vai depender da localização da residência. Quanto mais longe da rede de abastecimento, mais suja a água vai ser.

Sempre que for realizar a limpeza, o morador deve consumir antes o máximo de água para evitar desperdício. Junior lembra que não é indicado usar panos que soltem resíduos, vassoura nem detergente ou qualquer outro produto de limpeza, que podem contaminar a água. “Todas as saídas da caixa devem ser fechadas durante a limpeza. Passadas duas horas, todas as torneiras e chuveiros da casa podem ser abertos para que a água sanitária passe pela tubulação”, orienta. A dica dele é colar um adesivo com a data da limpeza na caixa d’água para que a pessoa tenha controle.

PREVENÇÃO

A caixa d’água do prédio onde mora a gestora de empresas Simone Felício, em Contagem, na Grande BH, nunca havia sido limpa. Instalado em local de difícil acesso, o reservatório não chamava a atenção dos moradores até o dia em que se descobriu a importância da limpeza regular. “Limpar a caixa d’água de forma adequada é um cuidado preventivo. Dá para ver o estado geral dela, se há algum vazamento e se a água está adequada para consumo. Depois que o problema está instalado, vem o prejuízo econômico, porque a conta aumenta muito, e de saúde”, diz a síndica, que incluiu o serviço na rotina do condomínio.
A gestora de empresas Simone Felício incluiu a limpeza na rotina do condomínio em que é síndica  - Jair Amaral/EM/D.A Press A gestora de empresas Simone Felício incluiu a limpeza na rotina do condomínio em que é síndica
Em prédios, o mais comum é contratar uma empresa para realizar a limpeza. Segundo a assistente de vendas da ByControl, Aline Almeida, nas caixas de até cinco mil litros utiliza-se escova de náilon, com cerdas arredondadas, para não arranhar a superfície. Para os reservatórios maiores, o lodo impregnado no fundo é tirado com hidrojateamento. Como não impacta o meio ambiente, a água que sobra pode ser descartada em ralo, caixa de gordura ou esgoto. Em seguida, coloca-se cloro em pastilha efervescente. “A pastilha tem a dosagem específica para cada tamanho de caixa. Ela continua tratando a água do reservatório por seis meses”, explica. O serviço custa a partir de R$ 200.

No dia seguinte, quando a caixa d’água voltou a se encher, os técnicos da ByControl encaminham uma amostra para o laboratório. “É feita uma análise de potabilidade da água, que acusa presença de coliformes e bactérias nocivas. Pode ser que a estrutura da caixa esteja comprometida, pois com o tempo vai desgastando a impermeabilização e a superfície se torna depósito de micro-organismos”, diz Aline. A empresa verifica a vedação das tampas para impedir a entrada de insetos e outros animais, o que leva à contaminação da água.k

PASSO A PASSO

1 - Esvazie a caixa d’água
2 - Escove bem as paredes e o fundo.Não use escova de aço
3 - Lave bem a caixa com jatos fortes de água
4 - Num balde limpo, faça uma mistura de um litro de água sanitária e cinco litros de água pura
5 - Com uma brocha ou pano, espalhe a mistura no fundo e nas paredes da caixa
6 - Espere meia hora para que a solução de água sanitária possa agir, desinfetando a caixa
7 - Lave novamente a caixa com um jato forte de água pura. É importante deixar a água escorrer. A caixa deve ficar vazia
8 - Agora, é só encher de novo a caixa. Dentro de seis meses, repita a operação

Fonte: Copasa

Tags: limpeza

Comentários Os comentários não representam a opinião do jornal e são de responsabilidade do autor. As mensagens estão sujeitas a moderação prévia antes da publicação
600
 
Alexandre - 21 de Janeiro às 19:36
Cada caixa d%u2019água e ou reservatório inferior possui característica própria; alvenaria; fibra; borracha; amianto. Qt ao desperdício, grandes edificações desprezam no mínimo metade da capacidade de armazenamento de água, reserva técnica de incêndio, para estes casos, eu aconselho a limpeza de ano

Últimas Notícias

ver todas
16 de agosto de 2018
14 de agosto de 2018

No Lugar Certo você encontra o que procura