Bairros de BH

Cruzeiro é disputado para morar

Bairro na Região Centro-Sul de BH atrai pela localização, fácil acesso a avenidas importantes e boa infraestrutura de comércio e serviços

INFORMAÇÕES PESSOAIS:

RECOMENDAR PARA:

- AMIGO + AMIGOS
Preencha todos os campos.
postado em 12/12/2015 14:01 / atualizado em 28/12/2015 13:09 Gustavo Perucci /Estado de Minas

Vista do bairro, com destaque para o Mercado Distrital e o Clube Ginastico - Renato Weil/EM/D.A Press - 19/02/2009 Vista do bairro, com destaque para o Mercado Distrital e o Clube Ginastico

Antes de se tornar um dos bairros mais tradicionais da Região Centro-Sul de Belo Horizonte, o Cruzeiro já foi um dos limites da cidade. Do encontro das avenidas do Contorno com Afonso Pena, seguindo na direção da Serra do Curral, não havia muita coisa. A cara da vizinhança começou a mudar somente na década de 1960. Sinônimo de qualidade de vida, a área já foi degradada e poluída.

Todos os bairros situados no Vale do Córrego do Gentio, principal afluente do Córrego do Acaba Mundo, tiveram seu desenvolvimento em época similar. Alguns um pouco antes, caso dos mais próximos à Avenida do Contorno. Outros, pouco tempo depois. A área, que fazia parte da ex-colônia agrícola Adalberto Ferraz – uma das propriedades rurais criadas pouco tempo depois da inauguração da capital com o objetivo de produzir alimentos para abastecer a cidade –, abriga hoje, além do Cruzeiro, Anchieta, Carmo, São Pedro e Sion. Entre as décadas de 1940 e 1960, toda essa região se transformou.

Rua Outono é uma das vias com residências e comércio - Eduardo Almeida/RA Studio Rua Outono é uma das vias com residências e comércio


Impulsionado pela ampliação da Avenida Afonso Pena e, posteriormente, em 1974, pela construção do mercado distrital, os antigos moradores da comunidade do Pindura Saia foram sendo ‘expulsos’ da área para dar lugar a uma ocupação voltada para a classe média alta.

Hoje, com pouco mais de 50 anos, o Cruzeiro é um dos melhores bairros de Belo Horizonte. Bem localizado, próximo do Centro e da Savassi, tem fácil acesso a avenidas importantes, boa variedade de linhas de ônibus, comércio e serviços. Todas essas características, aliadas à tranquilidade de suas arborizadas ruas, o valorizam ainda mais. Lazer também não é problema para quem mora na região. Além de contar com vários bares e restaurantes, concentrados, principalmente, na Avenida Afonso Pena e ruas Vitório Marçola e Pium-í, o Cruzeiro tem boas opções de atividades. O mercado distrital é um dos destaques do bairro.

Já o Parque Professor Amílcar Vianna Martins não é tão famoso assim. Inaugurado em 2000, a área verde, mais conhecida como Mirante da Fumec – em referência ao câmpus da Universidade Fumec –, abriga o primeiro reservatório de água da cidade. Ativo desde 1897, o Reservatório da Serra abastece os bairros Serra, Anchieta e parte do Cruzeiro, São Lucas e Funcionários. Mirante, parquinho, áreas de convivência e academia a céu aberto são as outras atrações do parque. Outra referência importante do bairro é o Esporte Clube Ginástico.

Mercado Distrital é uma das principais referências do bairro - Eduardo Almeida/RA Studio. Mercado Distrital é uma das principais referências do bairro


“O Cruzeiro é extremamente bem localizado, um dos melhores de Belo Horizonte. Além da proximidade com a Savassi, é um bairro completamente independente. Tem comércio muito diversificado, vivo. Particularmente, acho muito bonito”, afirma Sônia Torres, diretora da Sólida Imobiliária, que há mais de 10 anos atua na Região Centro-Sul.

A predominância de imóveis disponíveis no bairro são apartamentos antigos, grandes, sem elevador e com uma vaga. Residências unifamiliares são poucas, e a cada dia dão espaço para edifícios de luxo, com área de lazer e, no mínimo, três vagas. “Ainda existem algumas casas, embora já tenha perdido muitas. Deixou um pouco aquela cara de bairro residencial. Tem muitos prédios antigos, pequenos. Os empreendimentos mais novos são voltados para a classe média alta, mesmo porque o preço dos lotes é alto”, completa Torres.

GRANDE CRUZ No alto do Morro do Cruzeiro, os moradores do Arraial do Curral del Rei ergueram uma grande cruz de madeira que acabou por batizar a vizinhança. O local onde hoje fica a Praça Milton Campos, antes chamada de Praça do Cruzeiro, marca o encontro do bairro com Serra, Savassi e Funcionários. Ele ainda faz limite com Carmo, Anchieta, Comiteco e Mangabeiras, todos da Região Centro-Sul.

O Cruzeiro ocupa toda a extensão da Avenida Afonso Pena, entre a Praça Milton Campos e a Praça da Bandeira. A Rua Vitório Marçola é o limite com o Anchieta, e a Rua Pium-í, com o Carmo.

RAIO-X

LOCALIZAÇÃO
» Região Centro-Sul

ORIGEM DO BAIRRO
» Situado em área que fazia parte da antiga Colônia Adalberto Ferraz, o Cruzeiro começou a ser efetivamente ocupado por volta dos anos 1960, depois da ampliação da Avenida Afonso Pena. O nome do bairro é referência a uma cruz que, antes de Belo Horizonte ser inaugurada, ficava na hoje Praça Milton Campos.


PRINCIPAIS VIAS
» Avenida Afonso Pena
» Avenida do Contorno
» Avenida Bandeirantes
» Rua Vitório Marçola
» Rua Pium-í
» Rua Alfenas
» Rua Cabo Verde

PRINCIPAIS REFERÊNCIAS
» Praça Milton Campos
» Mercado Distrital do Cruzeiro
» Parque Amilcar Vianna Martins
» Esporte Clube Ginástico
» Praça da Bandeira
» Praça Jornalista Achilles Reis
» Fumec

PRINCIPAIS LINHAS DE ÔNIBUS
» 1030 (Avenida)
» 1170 (Santa Lúcia/Mangabeiras)
» 2152 (Salgado Filho/Cruzeiro)
» 4103 (Aparecida/Mangabeiras)
» 4108 (Pedro II/Mangabeiras)
» 4111 (Dom Cabral/Anchieta)
» 5101 (Suzana/Cruzeiro)

Comentários Os comentários não representam a opinião do jornal e são de responsabilidade do autor. As mensagens estão sujeitas a moderação prévia antes da publicação
600

Últimas Notícias

ver todas
15 de novembro de 2018
13 de novembro de 2018

No Lugar Certo você encontra o que procura