Ambiente de trabalho

Projetos corporativos exigem estética e regras

Especialistas orientam observar normas de acessibilidade, regras de segurança e funcionalidade nos espaços. Legislação varia conforme o tipo de empresa

INFORMAÇÕES PESSOAIS:

RECOMENDAR PARA:

- AMIGO + AMIGOS
Preencha todos os campos.
postado em 04/02/2016 11:52 Augusto Pio /Estado de Minas
Gustavo Xavier/Divulgação Lider Interiores
É preciso estar atento às normas para criar espaços corporativos e comerciais, que precisam aliar a estética do projeto às regras de segurança, acessibilidade e funcionalidade para obter ambientes atrativos e dentro das requisições exigidas pelo Ministério do Trabalho e, também, pelo Corpo de Bombeiros. E, de acordo com a arquiteta Estela Netto, todas as legislações referentes aos projetos corporativos dependem de cada tipo de empresa. Dos serviços e produtos que ela oferece. “A legislação que incide sobre uma clínica médica, por exemplo, é diferente da que incide sobre um escritório de advocacia ou uma fábrica de salgados”, esclarece a especialista.

Para o também arquiteto Junior Piacesi, ao criar projetos corporativos, é importante estar atento às normas de acessibilidade, em primeiro lugar. “Uma norma que a gente sempre consulta aqui no escritório é a NBR 9.050, de 2004, que disciplina o acesso. Temos que pensar na acessibilidade não só à edificação, mas também na circulação interna das pessoas. As rotas de fuga, por exemplo. Existe uma fiscalização, que é o Auto de Vistoria do Corpo de Bombeiros (AVCB), realizada a cada três anos em edificações comerciais. É preciso adequar o projeto e trabalhar dentro desse AVCB”, alerta.

Entre os fatores a serem estudados pelos profissionais estão iluminação, ventilação e acústica do ambiente - Gustavo Xavier/Divulgação Lider Interiores Entre os fatores a serem estudados pelos profissionais estão iluminação, ventilação e acústica do ambiente
Outros fatores a serem estudados pelos profissionais são iluminação, ventilação e acústica do ambiente. Pontos importantes para a criação de um espaço funcional e agradável para comportar os funcionários que precisam de um ambiente adequado para trabalhar. “A maioria das empresas hoje trabalha com o conceito open space, onde todo mundo vê todo mundo trabalhando dentro de um espaço completamente integrado. Porém, quando se colocam várias pessoas no mesmo espaço, é preciso trabalhar a acústica, pois elas estão falando e gerando ruído. É preciso pensar na absorção desse som. É necessário também pensar no fator clima, pois várias pessoas geram calor e, com a temperatura aumentando cada vez mais, é preciso que os funcionários tenham uma ventilação adequada no ambiente para produzir melhor. São condições de trabalho”, explica Piacesi.

Projeto arquitetônico ajuda ainda a criar a identidade da empresa - Gustavo Xavier/Divulgação Lider Interiores Projeto arquitetônico ajuda ainda a criar a identidade da empresa
Identidade Estela lembra ainda que o projeto arquitetônico ajuda a criar a identidade da empresa. “É muito importante entender o conjunto de valores daquela empresa e transformá-lo em proposta arquitetônica. A arquitetura precisa comunicar quem a empresa é, no que ela acredita e como ela quer comunicar isso aos seus clientes e colaboradores. A legislação não limita muito, basta estudá-la de maneira que, ao criar o projeto, as normas estejam incorporadas à forma de pensar e às soluções criativas do arquiteto.”

Piacesi concorda que é fundamental entender o conceito da empresa e compreender a sua atividade-fim, buscando entender a lógica do espaço e colocar a segurança das pessoas sempre em primeiro lugar. “Quando se trata de um projeto corporativo, o seu desafio de surpreender é maior, pois você tem mais equações a serem solucionadas.”
Comentários Os comentários não representam a opinião do jornal e são de responsabilidade do autor. As mensagens estão sujeitas a moderação prévia antes da publicação
600

Últimas Notícias

ver todas
13 de novembro de 2018
12 de novembro de 2018

No Lugar Certo você encontra o que procura