Lustres agregam um brilho sempre atual à decoração

Peças de destaque na decoração há centenas de anos, eles ganham modelos que vão do clássico ao contemporâneo. Especialistas ensinam como escolher o melhor para sua casa

INFORMAÇÕES PESSOAIS:

RECOMENDAR PARA:

- AMIGO + AMIGOS
Preencha todos os campos.
postado em 31/07/2011 09:36 / atualizado em 31/07/2011 10:23 Júnia Leticia /Estado de Minas
Pendentes sobre mesas precisam ser bem planejados para evitar acidentes e garantir iluminação adequada de todo o local - Eduardo Almeida/RA Studio Pendentes sobre mesas precisam ser bem planejados para evitar acidentes e garantir iluminação adequada de todo o local

Peça que até hoje confere sofisticação aos ambientes, o lustre é indispensável para muitos que se rendem à sua beleza. Mas desde o fim do século 17, quando surgiram os primeiros deles na Holanda, muita coisa mudou. Se no princípio se restringiam aos feitos de cobre, compostos por dois ou três andares de braços porta-velas finos e recurvados, atualmente a diversidade é tanta que fica difícil escolher o que melhor se adapta a cada ambiente. Além de beleza, confere um clima mais aconchegante e caso a intenção também seja impressionar, ele é peça essencial na sala de jantar.

Veja mais fotos de lustres

Veja mais fotos de lustres de cristal


Mas é preciso ter cuidado, pois a escolha errada pode deixar o espaço sem harmonia e transmitir mensagem contrária à intenção do morador, como observa a arquiteta Estela Netto. “Esse objeto deve refletir o conceito do projeto de decoração da casa como um todo”, recomenda.

Leia a continuação desta matéria:
Lustres carregam um requinte na medida certa

Faça a escolha pelo lustre correto
Como planejar o uso dos lustres

Apesar de a sala de jantar permitir flexibilidade para criar diferentes cenas, é preciso avaliar, também, a iluminação a ser empregada. Se o objetivo for proporcionar um clima mais romântico, as peças pendentes são mais indicadas. Para as reuniões em família, o ideal é o tipo embutido. A arquiteta Flávia Soares chama a atenção para a incidência da luz. “É preciso observar se é necessário uma iluminação auxiliar. Alguns modelos têm a luz refletida para o teto. Sendo assim, a mesa vai precisar de uma luz focada”.

Leia mais: Glamour e sofisticação

Marina Dubal, arquiteta - Eduardo Almeida/RA Studio" title="Eduardo Almeida/RA Studio" /> "O pendente deve valorizar e harmonizar com o móvel que está abaixo dele" - Marina Dubal, arquiteta
Outro cuidado na hora de escolher refere-se ao uso conjunto do lustre com espelhos, já que estes aumentam o efeito de alguns modelos. “Espelhos próximos às paredes maximizam o poder do lustre pendente e o deixam mais suntuoso. Para que ele fique mais discreto, basta usar uma iluminação embutida sobre a mesa e empregar um luxuoso pendente em uma mesa de apoio”, sugere Estela Netto.

Mas o uso do lustre não se restringe apenas à sala de jantar e nem mesmo a um estilo, segundo a arquiteta. Segundo ela, a peça também tem o poder de valorizar o ambiente. “Com bom gosto dá para montar combinações que vão do clássico ao contemporâneo, passando pelo básico até o irreverente. E o mais estimulante: fugir do óbvio.”

A arquiteta Marina Dubal confirma que o lustre, ou pendente, é uma luminária que pode se adaptar a qualquer ambiente, sem limitação. “No entanto, o pendente deve valorizar e harmonizar com o móvel que está abaixo dele. Uma mesa de jantar, mesa lateral, criados, tudo depende do leiaute e da atmosfera desejada”, explica.

DIVERSIFICADO

Há também a possibilidade de efeitos específicos em ambientes com características construtivas especiais. “Além de compor com alguns móveis, os pendentes podem ser usados em ambiente de pé-direito duplo, valorizando a altura e facilitando a manutenção na troca de lâmpadas”, acrescenta Marina.

Independentemente do espaço, os lustres podem ter a luz difusa (caso haja necessidade de uma iluminação geral), direcionada (possibilitando luz de leitura ou indireta) ou por rebatimento de forro, como explica a arquiteta. “Peças mais decorativas, maiores, devem ser proporcionais ao espaço e ocupar lugar de destaque.”

Para a arquiteta Flávia Soares, é necessário observar a iluminação auxiliar e a incidência de luz em vários elementos do cômodo - Eduardo Almeida/RA Studio Para a arquiteta Flávia Soares, é necessário observar a iluminação auxiliar e a incidência de luz em vários elementos do cômodo
Para quem acha que só a iluminação do lustre não é suficiente para o ambiente no qual ele está ou será colocado, é possível usar outros recursos simultaneamente. Marina diz que o ideal é associar mais de um tipo de luz, possibilitando usos distintos. “Se a iluminação for mais em focos, uma boa opção é o pendente com cúpula translúcida de tecido ou material similar. Quando se tem uma luz ambiente geral efetiva, o pendente pode ser usado para valorizar uma mesa de apoio, ou a mesa principal.”

Apesar da importância do caráter decorativo, tudo isso deve ser realizado sem perder a funcionalidade da iluminação, conforme explica Estela Netto. Em um escritório, a arquiteta fala que a mais adequada é a que permite que as atividades sejam desenvolvidas com conforto. “Portanto, é necessária uma luz mais difusa e homogênea. Já em um hall de entrada, ela pode ser mais cênica. Para um quarto, é importante ter uma opção de luz de leitura e outra mais geral. O uso de dimmers pode facilitar, pois podemos regular a iluminação.”

Tags: decoração

Comentários Os comentários não representam a opinião do jornal e são de responsabilidade do autor. As mensagens estão sujeitas a moderação prévia antes da publicação
600

Últimas Notícias

ver todas
08 de julho de 2019
02 de julho de 2019

No Lugar Certo você encontra o que procura