2010 de casa nova

Renovar unindo conforto, beleza e praticidade. Com a chegada do novo ano, profissionais apostam na criatividade e no ecologicamente correto para criar espaços personalizados

INFORMAÇÕES PESSOAIS:

RECOMENDAR PARA:

- AMIGO + AMIGOS
Preencha todos os campos.
postado em 28/12/2009 10:47 Júnia Leticia /Estado de Minas
Ambientes com estilos múltiplos fazem parte das recomendações dos especialistas, que apostam em cores, texturas e formas geométricas - Gladyston Rodrigues/Esp.EM Ambientes com estilos múltiplos fazem parte das recomendações dos especialistas, que apostam em cores, texturas e formas geométricas
No início de um novo ano, muitos aproveitam para renovar. Para isso, uma das opções é apostar na transformação da casa. Em janeiro, mês em que é grande a variedade de lançamentos, muitos optam por mudar de dentro para fora, modificando sua relação com o espaço onde vivem. Fugir do lugar-comum, respeitando a história de vida dos moradores, é uma das dicas. Além disso, segundo os arquitetos, aliar conforto, comodidade, beleza e bem-estar continuarão em alta.

Arquiteta e urbanista especialista em gestão de projetos e uma das diretoras da DAD Arquitetura e Design, Marina Dolabella Dubal diz que as tendências direcionam para um estilo multifacetado. "Com referências, cores
e texturas, que vão desde estampas étnicas ou geométricas-retrô, aos motivos naturais, reafirmando o ecodesign, seja somente por imagens que mimetizam a natureza, texturas ou pela releitura de suas formas".

Leia a continuação desta matéria:
Sob os encantos das cores
Uso de tecidos renova
Mais bonita

Os designers de interiores da Lapertosa & Figueiredo Arquitetura de Interiores, Dante Lapertosa e João Alberto Figueiredo, dizem que, sem dúvida, a decoração neste momento é bem mais versátil. "Há uma infinidade de acabamentos madeirados muito presentes e usados com mais liberdade de cores. Além disso, permanecem as lacas foscas e brilhantes, vidros especiais, fibras, entre outros", conta Dante Lapertosa.

A utilização de recursos naturais, sem agredir o meio ambiente, é outra tendência que permanece. O ecologicamente correto, segundo o arquiteto Cássio Gontijo, continua como proposta para a criação ou reformulação dos espaços. "Sustentabilidade é a palavra para definir bem o que está ocorrendo e o que vai acontecer", ressalta.

A preocupação com o meio ambiente, somada a aos reflexos de um mundo pós-crise, levam a um questionamento dos excessos e a uma busca pelo essencial, como analisa Marina Dubal. "Como o conceito de essencial varia de indivíduo para indivíduo, o que vemos são movimentos que levam à simplicidade do clean, em contrapartida com a valorização do antigo", observa.

RETRÔ

De acordo com a arquiteta, móveis da época dos pais e avós, que trazem um toque de estilo e história, continuam sendo valorizados, tornando o ambiente leve e contemporâneo devido aos contrastes vividos na sociedade. "Apesar de ter tido início este ano e se firmar em 2010, noto que cada vez mais as tendências se ampliam, tornando o mundo da decoração, do design e da moda mais democráticos, capazes de despertar uma identificação de qualquer pessoa que não esteja disposta a seguir algo só porque disseram", avalia.
 Arquiteta e urbanista Marina Dubal diz que valorização do antigo e simplicidade estão caminhando juntas - Gladyston Rodrigues/Esp.EM Arquiteta e urbanista Marina Dubal diz que valorização do antigo e simplicidade estão caminhando juntas

A presença de móveis e objetos antigos ou mais tradicionais também é ressaltada pelo design de interiores José Alberto Figueiredo. "Mas sem abrir mão da ousadia nos desenhos contemporâneos. Tudo é permitido dentro de uma composição bem feita e harmoniosa", acrescenta.

Dante Lapertosa diz que a decoração é mais acolhedora e colorida, permite ser mais personalizada, de acordo com a tendência do morador. "Estamparias nos tecidos e revestimentos de parede aparecem em profusão", completa. Entretanto, está liberado o minimalismo estático, monocrático e frio, ou seja, que mantém o design clean, impedindo desvios de atenção devido ao excesso de estética.

INDEFINIDO

Apesar de o tradicional contemporâneo - caracterizado por linhas retas, cores claras e a neutralidade de materiais, como o aço e o vidro - ser popular nos dias de hoje, o arquiteto Cássio Gontijo diz que não acha que haja um estilo definido para a decoração. "Hoje, o contemporâneo é a bola da vez, mas acho que tudo pode ser usado, todos os estilos sem preconceitos".

Marina Dubal acredita que tradicional contemporâneo seja mesmo o estilo popular da geração atual. De acordo com a arquiteta, as buscas por referências "tradicionais" no passado de maneira tão concreta como está sendo visto no campo do design e da moda veio preencher um vazio que a constante busca pela criação do "contemporâneo" deixou. "Na verdade, nada existe sem referências. O mix tradição e contemporaneidade concretiza um diálogo de épocas que sempre deve existir", enfatiza.
Comentários Os comentários não representam a opinião do jornal e são de responsabilidade do autor. As mensagens estão sujeitas a moderação prévia antes da publicação
600

Últimas Notícias

ver todas
19 de outubro de 2018
11 de outubro de 2018

No Lugar Certo você encontra o que procura